Seja bem-vindo(a) ao blog Etiopatogênese!

quarta-feira, 31 de março de 2010

Crack : Ele causa depedência e MATA

O que é?
O crack é uma mistura de cloridrato de cocaína (cocaína em pó), bicarbonato de sódio ou amónia e água destilada, que resulta em pequeninos grãos, fumados em cachimbos ( improvisados ou não). É mais barato que a cocaína mas, como seu efeito dura muito pouco, acaba sendo usado em maiores quantidades, o que torna o vício muito caro, pois seu consumo passa a ser maior.
Estimulante seis vezes mais potente que a cocaína, o crack provoca dependência física e leva à morte por sua acção fulminante sobre o sistema nervoso central e cardíaco.

Quais são as reacções do crack? O que ele provoca no organismo?
O crack leva 15 segundos para chegar ao cérebro e já começa a produzir seus efeitos: forte aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, dilatação das pupilas, suor intenso, tremor muscular e excitação acentuada, sensações de aparente bem-estar, aumento da capacidade física e mental, indiferença à dor e ao cansaço. Mas, se os prazeres físicos e psíquicos chegam rápido com uma pedra de crack, os sintomas da síndrome de abstinência também não demoram a chegar.  Em 15 minutos, surge de novo a necessidade de inalar a fumaça de outra pedra, caso contrário chegarão inevitavelmente o desgaste físico, a prostração e a depressão profunda.

Estudiosos como o farmacologista Dr. F. Varella de Carvalho asseguram que "todo usuário de crack é um candidato à morte", porque ele pode provocar lesões cerebrais irreversíveis por causa de sua concentração no sistema nervoso central.


     O crack é uma droga mais forte que as outras?

Sim, as pessoas que o experimentam sentem uma compulsão ( desejo incontrolável) de usá-lo de novo, estabelecendo rapidamente uma dependência física, pois querem manter o organismo em ritmo acelerado. As estatísticas do Denarc ( Departamento Estadual de Investigação sobre Narcóticos) indicam que, em Janeiro de 1992, dos 41 usuários que procuraram ajuda no Denarc, 10% usavam crack e, em Fevereiro desse mesmo ano, dos 147 usuários, já eram 20%. Esses usuários, em sua maioria, têm entre 15 e 25 anos de idade e vêm tanto de bairros pobres da periferia como de ricas mansões de bairros nobres.

 

Como o crack é uma das drogas de mais altos poderes viciantes, a pessoa, só de experimentar, pode tornar-se um viciado. Ele não é, porém, das primeiras drogas que alguém experimenta. De um modo geral, o seu usuário já usa outras, principalmente cocaína, e passa a utilizar o crack por curiosidade, para sentir efeitos mais fortes, ou ainda por falta de dinheiro, já que ele é bem mais barato por grama do que a cocaína. Todavia, como o efeito do crack passa muito depressa, e o sofrimento por sua ausência no corpo vem em 15 minutos, o usuário   usa-o em maior quantidade, fazendo gastos ainda maiores do que já vinha fazendo. 

Para conseguir, então, sustentar esse vício, as pessoas começam a usar qualquer método para comprá-lo. Submetidas às pressões do traficante e do próprio vício, já não dispõem de tempo para ganhar dinheiro honestamente; partem, portanto, para a ilegalidade: tráfico de drogas, aliciamento de novas pessoas para a droga, roubos, assaltos, etc.


Postado por: Deiseane
Fonte: Ministério da Saúde

Segunda etapa de vacinação contra gripe pandêmica termina na próxima sexta-feira

Gestantes, crianças de seis meses a menores de dois anos e doentes crônicos devem ser imunizados até dia 2 de abril. Estados e municípios são responsáveis por divulgar locais e horários de distribuição das doses
     A segunda etapa da estratégia nacional de vacinação contra gripe pandêmica termina na próxima sexta-feira, dia 2 de abril. Iniciada no último dia 22 de março, a etapa tem como públicos-alvo gestantes, crianças de seis meses a dois anos e doentes crônicos (exceto idosos), em um total estimado em 20,4 milhões de pessoas. A meta é imunizar pelo menos 80% dessa população. Todas as Secretarias Estaduais de Saúde já receberam as doses necessárias para a segunda etapa. Os estados, em parceria com os municípios, são responsáveis por divulgar os locais e os horários de vacinação, independentemente do feriado nacional do próximo dia (Sexta-Feira da Paixão). Em todo o país, são mais de 36 mil salas de imunização.

     Todas as grávidas, independentemente do período de gestação, devem se vacinar. As mulheres que engravidarem após o fim dessa etapa poderão se imunizar nas fases seguintes. Não é preciso apresentar atestado médico confirmando a gravidez.

     Na vacinação das crianças, pais e responsáveis devem levar aos locais de imunização apenas os bebês que já completaram seis meses de idade e os menores de dois anos. É muito importante levar o cartão de vacinação das crianças. Elas receberão uma dose dividida em duas vezes. A segunda meia dose será administrada 30 dias após a primeira. Se a criança completar seis meses depois do dia 2 de abril, também poderá ser vacinada normalmente.

     Em relação aos doentes crônicos, devem procurar os postos de vacinação pessoas com menos de 60 anos que têm problemas sérios de coração, pulmão, rins, fígado, diabéticos, pacientes em tratamento para aids e câncer ou os chamados grandes obesos (veja lista abaixo). Aqueles que serão vacinados devem levar aos postos um documento de identidade com foto e a carteira de vacinação do adulto, se possuírem. Também não é necessário apresentar atestado médico para comprovar a doença crônica.



Postado por: Deiseane
FONTE: Ministério da Saúde

Hanseníase

O que é?

     A hanseníase é uma doença infecciosa, de evolução crônica (muito longa) causada pelo Mycobacterium leprae, microorganismo que acomete principalmente a pele e os nervos das extremidades do corpo. A doença tem um passado triste, de discriminação e isolamento dos doentes, que hoje já não existe e nem é necessário, pois a doença pode ser tratada e curada.

     A transmissão se dá de indivíduo para indivíduo, por germes eliminados por gotículas da fala e que são inalados por outras pessoas penetrando o organismo pela mucosa do nariz. Outra possibilidade é o contato direto com a pele através de feridas de doentes. No entanto, é necessário um contato íntimo e prolongado para a contaminação, como a convivência de familiares na mesma residência. Daí a importância do exame dos familiares do doente de hanseníase.

     A maioria da população adulta é resistente à hanseníase, mas as crianças são mais susceptíveis, geralmente adquirindo a doença quando há um paciente contaminante na família. O período de incubação varia de 2 a 7 anos e entre os fatores predisponentes estão o baixo nível sócio-econômico, a desnutrição e a superpopulação doméstica. Devido a isso, a doença ainda tem grande incidência nos países subdesenvolvidos.

Manifestações Clínicas

     As formas de manifestação da hanseníase dependem da resposta imune do hospedeiro ao bacilo causador da doença. Esta resposta pode ser verificada através do teste de Mitsuda, que não dá o diagnóstico da doença, apenas avalia a resistência do indivíduo ao bacilo. Um resultado positivo significa boa defesa, um resultado negativo, ausência de defesa e um resultado duvidoso, defesa intermediária. Temos então, as seguintes formas clínicas da doença:
  • Hanseníase indeterminada: forma inicial, evolui espontaneamente para a cura na maioria dos casos e para as outras formas da doença em cerca de 25% dos casos. Geralmente, encontra-se apenas uma lesão, de cor mais clara que a pele normal, com diminuição da sensibilidade. Mais comum em crianças.
  • Hanseníase tuberculóide: forma mais benigna e localizada, ocorre em pessoas com alta resistência ao bacilo. As lesões são poucas (ou única), de limites bem definidos e um pouco elevados e com ausência de sensibilidade (dormência). Ocorrem alterações nos nervos próximos à lesão, podendo causar dor, fraqueza e atrofia muscular.
  • Hanseníase borderline (ou dimorfa): forma intermediária que é resultado de uma imunidade também intermediária. O número de lesões é maior, formando manchas que podem atingir grandes áreas da pele, envolvendo partes da pele sadia. O acometimento dos nervos é mais extenso.
  • Hanseníase virchowiana (ou lepromatosa): nestes casos a imunidade é nula e o bacilo se multiplica muito, levando a um quadro mais grave, com anestesia dos pés e mãos que favorecem os traumatismos e feridas que podem causar deformidades, atrofia muscular, inchaço das pernas e surgimento de lesões elevadas na pele (nódulos). Órgãos internos também são acometidos pela doença. 
     A hanseníase pode apresentar períodos de alterações imunes, os estados reacionais. Na hanseníase borderline, as lesões tornam-se avermelhadas e os nervos inflamados e doloridos. Na forma virchowiana, surge o eritema nodoso hansênico: lesões nodulares, endurecidas e dolorosas nas pernas, braços e face, que se acompanham de febre, mal-estar, queda do estado geral e inflamação de órgãos internos. Estas reações podem ocorrer mesmo em pacientes que já terminaram o tratamento, o que não significa que a doença não foi curada. 

 Tratamento:
     A hanseníase tem cura. O tratamento da hanseníase no Brasil é feito nos Centros Municipais de Saúde (Postos de Saúde) e os medicamentos são fornecidos gratuitamente aos pacientes, que são acompanhados durante todo o tratamento.
A duração do tratamento varia de acordo com a forma da doença: 6 meses para as formas mais brandas e 12 meses para as formas mais graves.
 Postado por: Deiseane

terça-feira, 23 de março de 2010

Inflamação Crônica

     A inflamação crônica dura semanas, meses ou anos, inflamação crônica é caracterizada pelos fenômenos proliferativos, com formação de fibrose.



A inflamação crônica ocorre nas seguintes situações:


1. Infecção persistente por certas bactérias como por exemplo o bacilo da tuberculose

2. Exposição prolongada a determinadas substâncias irritantes tais como a sílica

3. Reações autoimunes como por exemplo no lupus eritematoso sistêmico

 
 
Características morfológicas:


1. Infiltrado inflamatório por células mononucleares (macrófagos, linfócitos e plasmócitos)

2. Destruição tecidual que é produzida pela persistência do agente agressor ou pelas células inflamatórias

3. Tentativa de reparo que produz tecido conjuntivo



Figura: (Os papéis dos macrófagos na inflamação crônica do livro Robbins  e Cotran Patologia básica.)
 
 
Os macrófagos são as principais células da inflamação crônica e acumulam-se no foco inflamatório por três mecanismos:


1. Quimiotaxia

2. Proliferação de macrófagos no foco inflamatório

3. Liberação no foco inflamatório de um fator de inibição da migração de macrófagos, que os impede de abandonar o foco inflamatório



  Figura: Mecanismos de acumulação de macrófagos nos tecidos
 
 
 
Outras células importantes na inflamação crônica são:


1. Linfócitos - mobilizados em reações imunes (T e B) e não imunes. Interagem com os macrófagos.

2. Eosinófilos – são particularmente abundantes nas reações imunes mediadas por IgE e nas parasitoses

3. Mastócitos – são células abundantes no tecido conjuntivo e que podem liberar histamina, particularmente nas reações anafiláticas a drogas, venenos de insetos e reações a alimentos

4. Leucócitos polimorfonucleares – embora sejam mais característicos das inflamações agudas, podem ser encontrados também nas inflamações crônicas.

As inflamações crônicas podem ser divididas, sob o ponto de vista anátomo-patológico, em inflamações crônicas específicas (granulomatosas) e inespecíficas.

As inflamações específicas são caracterizadas pelos granulomas, que são acúmulos localizados de macrófagos e macrófagos modificados, (células epitelióides e células gigantes inflamatórias). Os granulomas podem ainda apresentar outras células tais como linfócitos, eosinófilos e fibroblasto, além de necrose e do próprio agente agressor.


Postado por: Deiseane

sábado, 20 de março de 2010

Pai da PATOLOGIA

Rudolf Ludwig Karl Virchow

(nascido em 13 de outubro de 1821, Schivelbein, Pomerânia, hoje Polônia - falecido em 5 de setembro de 1902, Berlim, Império Alemão)  ,foi um médico e político alemão.
      É considerado o pai da patologia moderna e da medicina social, além de antropólogo e político liberal (Partido Progressista Alemão e Partido Livre-Pensador Alemão).
             Filho do açougueiro Carl Virchow e de Johanna Hesse Virchow, graduou-se em 1843 em medicina em Berlim, pela Academia Militar da Prússia. Tornou-se professor em 1847. Por participação ativa na Revolução de Março (1848-1849), mudou-se para Würzburg, onde trabalhou como anatomista. Casou em 1850 com Rose Mayer, com quem teve 3 filhos e 3 filhas. Em 1856 retornou a Berlim, para assumir a cátedra de anatomia patológica da Universidade de Berlim.
             Durante a Guerra Franco-Prussiana, liderou pessoalmente o primeiro hospital móvel para atender os soldados no front. Também envolveu-se em atividades sociais, como saneamento básico, arquitetura de construção hospitalar, melhoramento de técnicas de inspeção de carne e higiene escolar.
            Foi ele quem elucidou o mecanismo do tromboembolismo, cujos fatores são conhecidos até hoje como tríade de Virchow. Foi o primeiro a publicar um trabalho científico sobre leucemia, pelo qual todas as formas de lesão orgânica começam com alterações moleculares ou estruturais das células.
            Em 1858, ele estabeleceu o conceito da Teoria Celular, pelo qual todas as formas de lesão orgânica começam com alterações moleculares ou estruturais das células. Em 1874, Dr. Virchow padronizou a técnica de necrópsia, cuja base é utilizada até os dias atuais. Ele fundou as disciplinas de patologia celular, patologia comparativa e antropologia
            Foi membro ativo na vida política do II Reich alemão, como ferrenho opositor ao Chanceler Otto von Bismarck.

Artigos e livros:

• Mittelheilungen über die Typhus-Epidemie, 1848

• Die Cellularpathologie, 1858

• Handbuch der speciellen Pathologie und Therapie, 1854-1862

• Vorlesungen über Pathologie, 1862-1872

• Die krankhaften Geschwülste, 1863-1867


POSTADO POR: Emanuely

CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

          

           É causado pelo papiloma vírus humano ou HPV que na pele e nas mucosas genitais como vulva, vagina, colo do útero e pênis . Existem mais de 30 tipos do vírus.Os tipos 16 e 18 causam 70% dos casos de câncer do colo do útero,40 a 50% dos casos de câncer da vulva,705 dos casos de câncer vaginal.Os tipos 6 e 11 causam 90% dos casos de verrugas nos órgãos genitais.

           È a segunda maior causa de morte por câncer em mulheres em todo o mundo, 8 em 10 mulheres irão contrair o HPV durante a vida, especialmente durante a adolescência. O contágio dá-se por qualquer tipo de contato genital, não é necessário a relaçõa sexual. Pode fetar homens e mulheres e geralmente não apresenta sinais e sintomas.Após o contágio o HPV pode desaparecer por si só ou evoluir para formas cancerosas.
  • Responsável por 3 em 4 infecções em mulheres de 15 a 25 anos;
  • Muitos contraem o vírus nos 2 a 3 primeiros anos de vida;
  • Metade das mulheres desenvolvem o câncer do colo do útero.
                                           
COMO PREVENIR?

          Faça o exame do papanicolau ou colposcopia para detectar células anormais no revestimento do colo útero,antes de que elas se transformem em lesões pré-cancerosas ou câncer. O diagnóstico final é feito através de biópsia da área suspeita.

Forma microscópica, que aparece no pênis, vagina e colo de útero:





POSTADO POR: Nayara

         
         

sexta-feira, 19 de março de 2010

Cirrose Hepática

    
     A cirrose hepática pode ser definida anatomicamente como um processo difuso de fibrose e formação de nódulos, acompanhando-se freqüentemente de necrose  hepatocelular. Apesar das acusas variarem, todas resultam no mesmo processo. Estima-se que aproximadamente 40% dos pacientes com cirrose são assintomáticos.

Quadro Clínico:
  • Fraqueza;
  • Adinamia;
  • Fadiga;
  • Anorexia;
  • Caquexia: por anorexia, má- absorção de nutrientes por diminuição do fluxo de bile e do edema intestinal, redução do estoque hepático de vitaminas hidrossolúveis e micronutrientes, redução do metabolismo hepático e muscular pelo aumento das citocinas e balanço alterado de hormônios que mantém a homeostase metabólica (insulina, glucagon e hormônios tireoidianos);
  • Equimoses e sangramentos espontâneos;
  • Feminilização: por acúmulo de androstenediona, pode haver ginecomastia, atrofia testicular, eritema palmar e spiders (abaixo);
  • Irregularidade menstrual;
  • Encefalopatia;
  • Hipertensão portal: retenção de sódio e água (ascite e edema), hiperesplenismo (trombocitopenia), shunts portossistêmicos (hemorróidas e dilatação venosa em abdome) e varizes esofágicas;
  • Neuropatia autonômica;
  • Etilismo: contraturas de Dupuytren, atrofia dos músculos proximais e neuropatia periférica;
  • Doença de Wilson: pode causar insuficiência hepática aguda com anemia hemolítica; pode se manifestar como cirrose associada a achados neurológicos por envolvimento dos gânglios basais (distúrbios de movimento, tremores, espasticidade, rigidez, coréia e disartria) e anéis de Kayser-Fleisher (por deposição de cobre na membrana de Descemet);
  •  Hemocromatose: pigmentação cinza metálica em áreas expostas ao sol, genitais e cicatrizes; artropatia das pequenas articulações das mãos, particularmente 2ª e 3ª metacarpofalangeanas.
Causas da Cirrose:
  • hepatite autoimune;
  • Lesão hepática induzida pelo álcool;
  • Hepatite viral B, C, D ou não-B não-C;
  • Doenças metabólicas: Deficiência de a 1-antitripsina, Doença de Wilson e Hemocromatose;
  • Distúrbios vasculares: Insuficiência cardíaca direita crônica e Síndrome de Budd-Chiari;
  • Cirrose biliar;
  • Cirrose Criptogênica.
Prescrições de Enfermagem:


     O repouso deve ser prescrito para que o fígado restabeleça sua capacidade funcional. Se o paciente estiver hospitalizado, o peso e a ingestão de líquido, bem como as eliminações, são medidos e registrados diariamente. A posição do paciente na cama é ajustada para a eficiência respiratória máxima, que é especialmente importante se a ascite for acentuada, pois ela interfere na excursão torácica adequada. Pode ser necessária a terapia de oxigênio, na insuficiência hepática, para oxigenar as células danificadas e evitar maior destruição celular. O repouso reduz as demandas do fígado e aumenta o suprimento de sangue para o mesmo. Como o paciente é susceptível aos problemas da imobilidade, devem ser iniciados os procedimentos para evitar as perturbações respiratórias, circulatórias e vasculares. Isto pode evitar como pneumonia, tromboflebite e úlceras de pressão. Quando a nutrição melhora e a força aumenta, o paciente é encorajado a aumentar a atividade gradualmente.
     Cuidados de pele são essenciais devido à presença de edema subcutâneo, à imobilidade do paciente, à icterícia e ao aumento de susceptibilidade da pele a lesões e infecção. As freqüentes mudanças de decúbito são necessárias para evitar úlceras de pressão. São evitados os usos de sabão irritante e de fita adesiva para prevenir traumas da pele. As loções podem ser suavizantes para a pele irritada. São tomadas medidas para que o paciente não coce a pele.
     O paciente com cirrose é protegido de quedas e outras injúrias. As grades laterais da cama são levantadas e acolchoadas com cobertores macios para diminuir os riscos se o paciente ficar agitado ou inquieto. O paciente é orientado quanto ao tempo e local, e todos os procedimentos são explicados para minimizar a agitação do paciente. Qualquer injúria é avaliada cuidadosamente, devido à possibilidade de sangramento interno.


Fonte: http://www.hepcentro.com.br/cirrose.htm
Imagem: http://www.google.com.br


Postado por: Paula

Isquemia Cerebral


O que é isquemia cerebral ?

      A isquemia cerebral é uma redução localizada do fluxo sanguíneo ao cérebro, ou partes dele, devido a obstrução arterial ou hiperfusão sistemática. A isquemia cerebral também está conectada à hipoxia cerebral, se prolongada, e infarto cerebral. A isquemia cerebral é uma condição que causa dano cerebral irreversível. A interrupção do fluxo sanguíneo ao cérebro resulta em perda da consciência depois de 10 segundos.

Sintomas

     Os sintomas da isquemia cerebral podem ser muito rápidos, demorando apenas alguns segundos a alguns minutos, e também podem durar períodos mais longos de tempo. Se o cérebro ficar irreversivelmente danificado e ocorrer infarto, os sintomas ficarão constantes. Os sintomas da isquemia cerebral dependem de que parte do cérebro está sendo privada de sangue e oxigênio.
     Esses sintomas pode incluir cegueira em um olho, fraqueza em uma perna ou um braço, fraqueza em todo um lado do corpo, tontura, vertigem, visão dupla, fraqueza generalizada, dificuldade em falar e perda de coordenação.

Efeitos da isquemia cerebral

     Durante a isquemia cerebral o cérebro não consegue continuar o metabolismo aeróbico devido à perda de oxigênio e substrato. O cérebro não é capaz utilizar o metabolismo anaeróbico e não tem nenhuma energia para longo prazo armazenada, então os níveis de ATP caem rapidamente. Com a falta de sua energia, as células começam a perder a capacidade de manter os gradientes eletroquímicos.
     Essas perdas podem ocasionar graves desenvolvimentos desfavoráveis durante a isquemia cerebral, os quais são: influxo massivo de cálcio dentro do citosol, grande liberação de glutamato das vesículas sinápticas, lipólise, ativação calpaína e seqüestro das síntese de proteínas. Ainda, a remoção de dejetos metabólicos é retardada. Similarmente à hipoxia cerebral, a isquemia cerebral grave ou prolongada pode resultar em perda da consciência, dano cerebral ou morte.

Tipos de isquemia cerebral

     Há dois tipos de isquemia cerebral. O primeiro tipo é a isquemia cerebral focal. Basicamente, a isquemia cerebral focal é um derrame cerebral, o que significa que um coágulo sanguíneo bloqueou um vaso cerebral. O segundo tipo é a isquemia cerebral global, na qual o sangue pára de fluir ou o fluxo sanguíneo diminui drasticamente. Uma das causas da isquemia cerebral global é parada cardiorrespiratória. Se a pessoa se recuperar da parada cardiorrespiratória o fluxo de sangue ao cérebro será restaurado e ela pode então ter uma isquemia cerebral global transiente se levou tempo significativo até a restauração do fluxo sanguíneo. A pessoa fica então em reperfusão, a qual é o dano feito ao tecido quando o suprimento de sangue retorna depois de período de isquemia. Depois da isquemia global, a maior parte do tecido cerebral é recuperado. Entretanto, o tecido que não se recupera é aquele que ajuda a pessoas a pensar e lembrar. Esse tecido está na área do cérebro chamada hipocampo.

Causas da esquemia cerebral

     Muitas doenças e anormalidades diferentes podem causar isquemia, seja ela no cérebro, pulmões ou coração. Algumas dessas causas são anemia falciforme, compressão dos vasos sanguíneos, taquicardia ventricular, acúmulo de placas nas artérias, coágulos sanguíneos, pressão sanguínea extremamente baixa resultando de ataque cardíaco e defeitos cardíacos congênitos. Outras causas possíveis de isquemia cerebral são sufocação, envenenamento por monóxido de carbono, anemia grave e drogas como cocaína e anfetaminas.


Fonte: http://www.copacabanarunners.net/isquemia-cerebral
Imagem: http://www.google.com.br


Postado por: Paula

Conheça a pimenta mais ardida do mundo

   Se você acha as pimentas brasileiras ardidas, é que você não conhece a indiana. Ela pode ser boa para a sua saúde, mas é preciso ter coragem para experimentar.

                                                                                          
Das cinquenta variedades de pimenta produzidas nesta fazenda, no interior de São Paulo, uma delas foi eleita a mais ardida do mundo pelo livro dos recordes. A pimenta bhut jolokia, ou pimenta fantasma, de origem indiana é 15 vezes mais forte que a malagueta.

“Até pra quem gosta vai ser um grande desafio, porque ela é muito forte”, conta Anélio Trevisan.
Com todo esse ardido a gente até pensa que a pimenta fantasma faz mal à saúde.


                  Na verdade ela é rica em vitamina A, atuando no combate aos radicais livres, que causam o envelhecimento da pele.

Postado por:Danielle Lima
Fonte:http://g1.globo.com/jornalhoje

quinta-feira, 18 de março de 2010

CÂNCER DE MAMA


          
CÂNCER DE MAMA EM ESTÁGIO FINAL.
VOCÊ PODE IMPEDIR QUE ISSO ACONTEÇA!

        O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais freqüente no mundo e o primeiro entre as mulheres (cerca de 1 milhão de casos novos estimados). Mais da metade dos casos novos ocorrem em países desenvolvidos. Representa a principal causa de morte das mulçheres brasileiras.
        É a doença mais temida entre as mulheres por alterar o psicológico,sexual e a própria imagem pessoal.

PREVINA-SE:


Prevenção primária: Evitar obesidade,sedentarismo,alimentos gordurosos e álcool em excesso.
Prevenção secundária:  Auto-exame,mamografia anual. Lactentes devem fazer o auto-exame após amamentar e sempre no mesmo horário,mulheres no climatério devem realiza-lo todos os meses.

Sintomas:


  • Nódulo ou tumor no seio com ou sem dor;


  • Alterações da pele que recobre a mama( semelhante a casca de laranja);


  • Nódulo palpável na axila.


     
    POSTADO POR: Nayara

MULHER: sinônimo de coragem e cuidado

        
       Segundo a OMS, as mulheres são as principais usuárias dos serviços médicos.Com cuidados e atividades preventivas os casos de enfermidade entre o público feminino é evitável. Bons hábitos e consultas preventivas periódicas ajudam a prolongar a vida.


  • Alimente-se de frutas, verduras, legumes (ricos em vitaminas,fibras e sais minerais),eles evitam o desenvolvimento das doenças crônicas não-transmissíveis;
  • Reduza o consumo de açúcar,sal, gordura e alimentos com alta densidade energética(salsisha,doces,carnes vermelhas),prefira carnes brancas(peixe e frango);
  • Administre seu stress inserindo atividades relaxantes(caminhada,por exemplo);
  • Pratique exercícios físicos pelo menos 30min. por dia;
  • Adote práticas de sexo seguro;
  • Consulte um ginecologista regularmente e faça o auto-exame das mamas;
  • A partir dos 40 anos deve-se fazer mamografia pelo menos uma vez por ano.

POSTADO POR: Nayara

Referências:


quarta-feira, 17 de março de 2010

Inflamação Aguda

         A inflamação (do Latim inflammatio, atear fogo) ou processo inflamatório é uma resposta dos organismos vivos homeotérmicos a uma agressão sofrida. Entende-se como agressão qualquer processo capaz de causar lesão celular ou tecidual. Esta resposta padrão é comum a vários tipos de tecidos e é mediada por diversas substâncias produzidas pelas células danificadas e células do sistema imunitário que se encontram eventualmente nas proximidades da lesão.


Abscesso  Inflamatório

Sinais Cardinais da Inflamação

- Dor
-Calor
-Rubor
-Edema







Inflamação Aguda

"Resposta inflamatória imediata e inespecífica do organismo diante da agressão".

A inflamação aguda é dita imediata por se desenvolver no instante da ação do agente lesivo, e inespecífica por ser sempre qualitativamente a mesma, independentemente da causa que a provoque.


Fisiopatologia (mecanismos de instalação)

            Os neutrófilos migram dos vasos sangüíneos para o tecido inflamado via quimiotaxia, e então removem os agentes patológicos através da fagocitose e da degranulação.À agressão tecidual se seguem imediatamente fenômenos vasculares mediados principalmente pela histamina. O resultado é um aumento localizado e imediato da irrigação sangüínea, que se traduz em um halo avermelhado em torno da lesão (hiperemia ou rubor). Em seguida tem início a produção local de mediadores inflamatórios que promovem um aumento da permeabilidade capilar e também quimiotaxia, processo químico pelo qual células polimorfonucleares, neutrófilos e macrófagos são atraídos para o foco da lesão. Estas células, por sua vez, realizam a fagocitose dos elementos que estão na origem da inflamação e produzem mais mediadores químicos, dentre os quais estão as citocinas (como, por exemplo, o fator de necrose tumoral e as interleucinas), quimiocinas, bradicinina, prostaglandinas e leucotrienos. Também as plaquetas e o sistema de coagulação do sangue são ativados visando conter possíveis sangramentos. Fatores de adesão são expressos na superfície das células endoteliais que revestem os vasos sanguíneos internamente. Estes fatores irão mediar a adesão e a diapedese de monócitos circulantes e outras células inflamatórias para o local da lesão.

               Em resumo, todos estes fatores atuam em conjunto, levando aos eventos celulares e vasculares da inflamação. Resulta em um aumento do calibre de capilares responsáveis pela irrigação sanguínea local, produzindo mais hiperemia e aumento da temperatura local (calor). O edema ou inchaço ocorre a partir do aumento da permeabilidade vascular aos componentes do sangue, o que leva ao extravassamento do líquido intravascular para o espaço intersticial extra-celular. A dor, outro sintoma característico da inflamação, é causada primariamente pela estimulação das terminações nervosas por algumas destas substâncias liberadas durante o processo inflamatório, por hiperalgesia (aumento da sensibilidade dolorosa) promovida pelas prostaglandinas e pela bradicinina, mas também em parte por compressão relacionada ao edema.




Os neutrófilos migram dos vasos sanguíneo  para os tecidos via quimiotaxia, e então remove os agentes patológicos através da fagocitose e degranulação.








Postado por :Deiseane

Fonte:
http://www.wikipedia.org.br/
www.fo.usp.br/lido/patoartegeral

terça-feira, 16 de março de 2010

OBESIDADE: Doença do nosso tempo

       
         É o acúmulo excessivo de gordura corporal, associada a problemas de saúde. Causa: limitações de movimento, tendem a ser contaminados com fungos e outras infecções de pele em suas dobras de gordura, com diversas complicações, podendo ser algumas vezes graves. Além disso, sobrecarregam sua coluna e membros inferiores, apresentando a longo prazo degenerações (artroses) de articulações da coluna, quadril, joelhos e tornozelos, além de doença varicosa superficial e profunda (varizes) com úlceras de repetição e erisipela. A obesidade é fator de risco para uma série de doenças crônicas ou distúrbios que podem ser:

  1. Hipertensão arterial:  Distúrbios lipídicos
  2. Doenças cardiovasculares:  Hipercolesterolemia
  3. Doenças cérebro-vasculares:  Diminuição de HDL ("colesterol bom")
  4. Diabetes Mellitus tipo II : Aumento da insulina
  5. Câncer: Intolerância à glicose
  6. Osteoartrite: Distúrbios menstruais/Infertilidade
  7. Coledocolitíase: Apnéia do sono

          No Brasil, pesquisa feita em 2003 apontou que 40% da população encontra-se acima do peso.Nos EUA atinge 30% da população. Um adolescente obeso tem 70 a 80% de chance  se tonar um adulto obeso, caso tenha filhos o risco do mesmo contrair a doença é de 80% se os dois pais forem obesos e cai pela metade se for somente. Representa uma das maior causa de morte atualmente.
         Isso deve-se a mudanças impostas em nossos hábitos alimentares:

  • Diminuição do consumo de arroz e feijão;

  • Aumento do consumo de refrigerantes (400%);

  • Frituras, gorduras;

  • Diminuição do consumo de alimentos orgânicos saúdáveis(frutas, verduras,etc);

  • Aumento do consumo de açúcar.Entre outros fatores.
 

UM PROBLEMA PARA REFLETIR...


          
          Faz-se necessário uma reedução alimentar e uma a incusão de mudanças nos hábitos de vida que levem-nos a sair do sedentarismo , a prática de atividades físicas e adoção de práticas alimentares saudáveis. Cabe ao enfermeiro conscientizar diretamente a população sobre os riscos inerentes a saúde, como forma de prevenção primária.
                            


REFERÊNCIAS:
http://www.abcdasaude.com.br/

POSTADO POR:  Emanuelly

segunda-feira, 15 de março de 2010

Não ao Ato Médico


ATO MÉDICO FOI APROVADO NA CAMARA E AGORA VAI PARA O SENADO


Se aprovado, além de violentar os direitos de 3 milhões de profissionais da saúde, esse Projeto de Lei colocará em risco a saúde da população ao delegar aos médicos o exercício de atos privativos para os quais eles não possuem treinamento. Os pacientes teriam que primeiro obter um diagnóstico nosológico e a respectiva prescrição terapêutica, emitida por um médico, para só depois poder ser atendido por um profissional da saúde, acabando com o direito da população de ter livre acesso aos serviços dos profissionais da saúde.

Esse Projeto de Lei transforma os profissionais da saúde em técnicos dos médicos.


DIGA NÃO A ESSE ABSURDO!!!


Observação: Não acho justo o que o conselho de medicina está querendo impor com essa lei. Estudamos e nos dedicamos para realizar nosso trabalho, com empenho e dedicação!!

Defenda os seus, os nossos direitos dizendo não.
Faça parte dessa corrente.
Deixe o seu comentário!!

    ACESSEM E VOTEM : http://www.atomediconao.com.br/



Postado por: Danielle Lima,
Estudante de Enfermagem, 3º Semestre

Há tantos diálogos

                               
Diálogo com o ser amado    
  • o semelhante
  • o diferente
  • o oposto
  • o adversário
  • o surdo-mudo
  • o prossesso
  • o irracional
  • o vegetal
  • o mineral
  • o inominado


Diálogo consigo mesmo   
  • com a noite     
  • os astros
  • as idéias
  • o sonho
  • o passado
  • o mais que futuro
Escolhe teu diálogo e                   
tua melhor palavra ou
teu melhor silêncio
Mesmo no silêncio e com o
silêncio
dialogamos.
        
           (Carlos Drumomnd de Andrade)


Postado por: Emanuelly

Biotecnologia:sua utilização na saúde

       

        “Biotecnologia define-se pelo uso de conhecimentos sobre os processos biológicos e sobre as propriedades dos seres vivos, com o fim de resolver problemas e criar produtos de utilidade."


                  (Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU)

             Biotecnologia é o campo multidisciplinar que se fundamenta no uso de organismos para produção intensional de substâncias através,principoalmenta da modificação dos genomas.E emerge da inter-relação com áreas:
 

          Antes dos anos 1970, o termo biotecnologia era utilizado principalmente na indústria de processamento de alimentos e na agroindústria. A partir daquela época, começou a ser usado por instituições científicas do Ocidente em referência a técnicas de laboratório desenvolvidas em pesquisa biológica, tais como processos de DNA recombinante ou cultura de tecidos.

AVANÇOS PARA A SAÚDE:

  • Produção de fármacos; antibióticos, hormônios,vacinas, reagentes,testes para diagnóstico e outros produtos farmacêuticos;

  • Tratamento de despejos sanitários pela ação de microorganismos em fossas sépticas;

  • Estudos genômicos para prevenção e cura de diversas doenças;

  • Pesquisas que envolvem o tratamento de leucemias, linfomas, diabetes, trauma de medula espinhal, lúpus, infarto do miocárdio e patologias cerebrais;

  • Fonte potencialmente ilimitada de tecidos para transplante;

  • Células-tronco;

  • Construção de supercélulas ,capazes de reconhecer e destruir células tumorais.


           
        No entanto, ainda não se tem realmente a proporção dos danos e riscos  que a mesma pode acarretar,mas que provavelmente sejam minimizados no decorrer do processo de pesquisa.Os métodos disponíveis são pouco eficientes e apresentam sérias limitações quanto ao seu direcionamento.Num futuro bem próximo o uso dessa técnica pode ser uma prática bem-sucedida e aceita de forma consciente pela sociedade. Enquanto isso vem gerando intensa polêmica e confrontando opniões, gerando dilemas éticos.


REFERÊNCIAS:

Postado por: Emanuelly

sábado, 13 de março de 2010

Herpes labial

         É uma infecção causada pelo Herpes simplex vírus( HSV-1). O contato ocorre geralmente na infância, mas muitas vezes a doença não se manifesta nesta época. O vírus atravessa a pele e, percorrendo um nervo, se instala no organismo de forma latente, até que venha a ser reativado. Pode ser contagiosa (pela saliva)quando os sintomas estão presentes.

         A reativação do vírus pode ocorrer devido a diversos fatores desencadeantes, tais como: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica. Algumas pessoas tem maior possibilidade de apresentar os sintomas do herpes. Outras, mesmo em contato com o vírus, nunca apresentam a doença, pois sua imunidade não permite o seu desenvolvimento. A primeira deflagração de feridas em duas semanas após a contaminação pelo vírus. Essas feridas geralmente saram dentro de 2 a 4 semanas.



Manifestações clínicas

         As localizações mais frequentes são os lábios e a região genital (vírus HSV-2), mas o herpes pode aparecer em qualquer lugar da pele. Uma vez reativado, o herpes se apresenta da seguinte forma:

Inicialmente pode haver coceira,ardência queimação e formigamento, no local onde surgirão as lesões;

• A seguir, formam-se pequenas bolhas agrupadas como num buquê sobre área avermelhada e inchada;

• As bolhas rompem-se liberando líquido rico em vírus e formando uma ferida. É a fase de maior perigo de transmissão da doença;

• A ferida começa a secar formando uma crosta que dará início à cicatrização;

• A duração da doença é de cerca de 5 a 10 dias.Podem ser engatilhadas por estresse, relação sexual, cafeína, álcool, doenças e menstruação.


Tratamento

O tratamento deve ser iniciado tão logo comecem os primeiros sintomas, assim o surto deverá ser de menor intensidade e duração;

• Evite furar as vesículas;

• Evite beijar ou falar muito próximo de outras pessoas, principalmente de crianças se a localização for labial;

• Evite relações sexuais se for de localização genital;

• Lave sempre bem as mãos após manipular as feridas pois a virose pode ser transmitida para outros locais de seu próprio corpo, especialmente as mucosas oculares, bucal e genital.


REFERÊNCIAS:

http://www.portalsaofrancisco.com.br/
http://www.dermatologia.net/
http://www.copacabanarunners.net/


POSTADO POR: Emanuelly

sexta-feira, 12 de março de 2010

ÚLCERAS DE PRESSÃO



A úlcera de pressão pode ser definida como uma lesão de pele causada pela interrupção sangüínea em uma determinada área, que se desenvolve devido a uma pressão aumentada por um período prolongado. Também é conhecida como úlcera de decúbito, escara ou escara de decúbito. O termo escara deve ser utilizado quando se tem uma parte necrótica ou crosta preta na lesão.

Como se desenvolve?

A úlcera de pressão se desenvolve quando se tem uma compressão do tecido mole entre uma proeminência óssea e uma superfície dura por um período prolongado. O local mais freqüente para o seu desenvolvimento é na região sacra, calcâneo, nádegas, trocânteres, cotovelos e tronco.

Quais as causas e fatores de risco?


São vários os fatores que podem aumentar o risco para o desenvolvimento da úlcera de pressão como: imobilidade, pressões prolongadas, fricção, traumatismos, idade avançada, desnutrição, incontinência urinária e fecal, infecção, deficiência de vitamina, pressão arterial, umidade excessiva, edema.

Estágios da úlcera de pressão

-As úlceras de pressão podem ser classificadas em:

    Estágio I: Quando a pele está intacta, mas se observa vermelhidão e um pouco de ulceração de pele.

  

   Estágio II: Quando a pele já está perdendo sua espessura, manifestando abrasão, bolha ou cratera superficial.



   Estágio III:  Quando se observa uma ferida de espessura completa, envolvendo a epiderme, a derme e o subcutâneo.

  Estágio IV: Quando se tem uma lesão significante, onde há a destruição ou necrose para os músculos, ossos e estruturas  de suporte( tendões e cápsula articular).
Quem corre mais riscos?

Pacientes acamados que são ou foram fumantes, diabéticos, pacientes com incontinência fecal e urinária (uso de fraldas), desnutridos, idosos, pessoas com pouca ou nenhuma mobilidade, com problemas de circulação arterial.

Como prevenir?

Manter alguns cuidados com a pele do paciente é fundamental. A atuação fundamental é no alívio da pressão da pele, nas áreas de maior risco, ou onde se tem ossos mais proeminentes. Alguns cuidados são bem importantes, e podem ser realizados desde os primeiros momentos que o paciente ficou acamado, seja em casa ou no hospital.

OBS: Como futuras enfermeiras é importante destacar que o leito é um fator importante na obtenção do repouso, o nosso objetivo é proporcionar conforto e segurança ao paciente. Devemos evitar esses tipos de situações, informando ao paciente e prevenindo o que pode ocorrer com pacientes acamados, é de suma importância conhecer os tipos de arrumação de leito para prevenir o paciente da ÚLCERA DE PRESSÃO.
 

postado por :Danielle lima
fonte:www.abcdasaude.com.br/artigo.php?626

Artrite Reumatóide

            Doença crônica de origem auto-imune. A característica principal é a inflamação articular persistente mas há casos em que outros órgãos são comprometidos conjunto de sintomas e sinais resultantes de lesões articulares produzidas por diversos motivos e causas, sendo uma reação inflamatória inespecífica e multicausal que atinge principalmente as  articulações periféricas(sinoviais), causando dores, deformidades progressivas e incapacidade funcional. É a mais comum das doenças reumáticas inflamatórias. Dadas as potenciais morbidades articulares inerentes à doença,  atinge de 0,5% a 1% da população mundial.
Fatores:

  • Predisposição genética;
  • Pessoas entre 50 e 70 anos;
  • Persistência dos estímulos ou a incapacidade do sistema imune em controlar a inflamação levam à cronicidade da doença;
  • A membrana sinovial prolifera e libera enzimas produzidas por células localmente. Tanto a invasão da membrana sinovial como a ação das enzimas provocam destruição das estruturas articulares (cartilagem e ossos vizinhos) e juxta-articulares (tendões e ligamentos).
Os sintomas iniciais da artrite reumatóide são:

Mal estar;
• Febre baixa;
• Suores;
• Perda de apetite;
• Perda de peso;
• Fraqueza;
• Humor deprimido ou irritado;
• Dores nas articulações, na maioria das vezes de forma simétrica, ou seja, nos dois lados do corpo;

Com o tempo, os sintomas da artrite tornam-se mais acentuados:

Articulações com sinais evidentes de inflamação: dor, inchaço, calor, vermelhidão, rigidez mais intensa após despertar;
• A inflamação acomete pelo menos três articulações;
• Aumento dos gânglios;
• Anemia;
• Nódulos subcutâneos.



Manifestações clínicas extra-articulares:


  • Nódulos reumatóides ;
  • Comprometimento ocular inflamação das glândulas lacrimais (Síndrome de Sjögren),causando diminuição da produção de lágrima;

Manifestações musculares:

  • hipotrofia muscular;
  • corticóides e antimaláricos podem ser causa de fraqueza muscular.

Sistema nervoso:

  • Formigamento ou queimaçãoformigamento nos dedos polegar, indicador e médio devido à compressão do nervo mediano ao nível do punho.;
  • Deslizamento da 1a vértebra que pode comprimir a medula. As conseqüências são distúrbios sensitivos e motores nos membros superiores e inferiores. Deslocamentos maiores da vértebra podem levar a paralisia e mesmo a parada respiratória e morte.

Sangue:

  • Anemia leve aumento do volume do baço, queda de glóbulos brancos e outras manifestações da  (síndrome de Felty).
Vasculite:

  • A manifestação clínica da vasculite depende da intensidade da lesão, localização e tamanho do vaso. Inflamações ao redor das unhas não são raras e têm boa evolução.
  • Os pacientes com Artrite Reumatóide grave podem apresentar áreas extensas de vasculite cutânea provocando úlceras de difícil controle.


Referências:

http://www.abcdasaude.com.br/
http://pt.wikipedia.org/

Postado por: Emanuelly




quinta-feira, 11 de março de 2010

DENGUE

      Dengue é uma arbovirose transmitida por mosquitos do gênero AEDES, especialmente pelo Aedes aegypti. Existem quatro tipos distintos de vírus dengue, denominados vírus dengue tipos 1,2,3,4 ou simplesmente Denv-1, Denv-2, Denv-3 e Denv-4.
        A cada ano estima-se que ocorram  entre 50 e 100 milhões de novas infecções pelo vírus dengue , além de cerca 500 mil casos de febre hemorrágica da Dengue (FHD), registrados em todo o mundo. No Brasil, sucessivas epidemias de dengue vêm  ocorrendo desde 1986, causando  mais de cinco milhões de casos de dengue e cerca de seis mil casos de FHD.
  
Infecção e Doença
     A infecção pode ser sintomática ou assintomática. O período de incubação costuma ser de quatro a sete dias, embora  possa variar de dois até quinze dias.O espectro clínico das infecções sintomáticas pode variar desde enfermidade febril indiferenciada até síndrome de choque do dengue.

Quando suspeitar de Dengue?
     Deve-se suspeitar de dengue diante de todo paciente com doença febril aguda, com duração de até sete dias, acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas:

-Cefaléia 
- Dor Retroorbitária
-Mialgia
- Artralgia
-Prostração
-Exantema

Associados ou não á presença de hemorragias.

Diante de um Paciente com suspeita de dengue,que exames devemos solicitar?

- Hemograma 
- Sorologia, após o 6° dia de início de sintomas, em todos os casos suspeitos.
- Isolamento viral, que deve ser solicitado de acordo com a orientação da vigilância epidemiológica local, nos primeiros cinco dias de início de sintomas.

Fonte: Biblioteca virtual em Saúde do Ministério da Saúde
www.sude.gov.br/bvs
Secretaria de Vigilância em Saúde
www.saude.gov.br/svs

Postado por : Nayara Bezerra
 

segunda-feira, 8 de março de 2010

Feliz Dia da Mulher!!!



      Mulher! Todos os grandes senhores te reverenciam no dia de hoje, pois eles nasceram do teu ventre. Mulher! Além de todos os poderes cósmicos, levas dentro de ti a semente sagrada que provê a vida. Tu és o mais belo pensamento de Deus. Teu coração é manancial de sabedoria. De teu íntimo brota a força amorosa que nutre, regenera e ressuscita.

História do 8 de março

     No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
    A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data

     Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Conquistas das Mulheres Brasileiras

     Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

Hoje é muito mais que um dia comercial...
Comemoramos a evolução feminina!!!

Parabéns a todas as mulheres!!!

Postado por : Deiseane

Amiloidose

      A amiloidose é uma doença rara afeta oito em cada 1 milhão de pessoas , progressiva e geralmente incurável, que ocorre quando há acúmulo, ao redor dos vasos sangüíneos, de pedaços de proteína dobrados em uma configuração altamente estável.
      Como essas proteínas que variam de acordo com a causa são muito estáveis, vão se depositando em um ou mais órgãos, podendo comprometer o seu funcionamento e, em casos mais graves, morte. Os órgãos mais afetados são o coração, rins, trato gastrintestinal e sistema nervoso central, mas pode afetar também língua, músculos, pele, ligamentos, articulações, baço, pâncreas e, claro, o fígado. A amiloidose ocorre com a mesma freqüência em homens e mulheres, geralmente após os 40 anos de idade e, se não tratada a causa, evolui para o óbito em 1 a 2 anos após o diagnóstico mas depende muito da causa e gravidade da doença.


TIPOS DE AMILOIDOSE

      Há três tipos principais de amiloidose, a primária, a secundária e a genética.
      A amiloidose primária (AL) é a mais comum, aonde a proteína amilóide é um fragmento da cadeia leve de imunoglobulinas.
      Na amiloidose secundária (AA), a proteína depositada é chamada de amilóide sérico A e é uma proteína produzida pelo fígado em resposta a processos inflamatórios. Por esse motivo, essa amiloidose é observada em pessoas portadoras de doenças inflamatórias.
      A amiloidose hereditária é muito rara e ocorre quando uma mutação genética leva a produção de uma proteína amilóide ( transtiretina, proteína beta-amilóide P, apolipoproteína A1, procalcitonina e beta-2-microglobulina ). A identificação da proteína envolvida é importante para prever suas possíveis complicações, tratamento precoce e risco de transmissão para os filhos.

SINTOMAS

      Como as proteínas amilóides só foram identificadas recentemente, os estudos sobre sintomas da amiloidose tratam todas como uma proteína só. Com o avanço nos próximos anos, poderemos diferenciar mais adequadamente os sintomas dependendo da causa.

DIAGNÓSTICO

      Após a suspeita clínica, pode ser realizada a pesquisa de amilóides de cadeia leve no sangue ou urina, que serve como exame de rastreamento. Depois disso, são realizadas biópsias de gordura subcutânea, mucosa retal e/ou medula óssea para confirmação diagnóstica. Em alguns casos, é necessária a coleta de biópsia do órgão afetado. Essas biópsias mostrarão o acúmulo da proteína amilóide.

TRATAMENTO

      Não há cura para a amiloidose. Os objetivos do tratamento, a partir do diagnóstico, são reduzir ou diminuir a produção do amilóide, eliminar depósitos, aliviar ou curar a doença de base e tratar as complicações decorrentes pelos depósitos nos órgãos acometidos.




      Órgão com amiloidose: aumento de volume do rim , cor pálida, aspecto seco e firme devido à deposição difusa da proteína.




Postado por: Deiseane